Protesto contra reforma da Previdência e cortes na Educação reúne multidão em frente à UFMS, em Campo Grande

Protesto contra reforma da Previdência e cortes na Educação reúne multidão em frente à UFMS, em Campo Grande

 

 

 

Um grande protesto aconteceu no dia 15, quarta, em frente à Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). A mobilização já estava marcada em nível nacional contra a reforma da Previdência Social  e foi ampliada para a defesa da Educação, após os cortes anunciados pelo governo federal atingindo as universidades e institutos federais de educação.

Em MS paralisaram as atividades as escolas estaduais e municipais, UFMS, UFGD (Dourados), UEMS (Universidade Estadual) e Institutos Federais de Educação. Os administrativos da rede estadual, que também paralisaram, reivindicam cumprimento de acordo por parte do governador Reinaldo Azambuja. Atos públicos com grande número de participantes aconteceram também  em diversas cidades do interior, mostrando o repudio à reforma da  previdência e cortes na educação.

A Fenajufe e sindicatos filiados também participaram dos ato em todo país, apoiando o  movimento em defesa da educação e contra a reforma da previdência. Em Campo Grande o SINDJUFE/MS participou da mobilização em frente à UFMS, junto com os outros sindicatos do Fórum dos Servidores Federais de MS.

SINDJUFE/MS presente no ato contra a reforma da previdência e em defesa da educação

Para a coordenadora administrativa do SINDJUFE/MS, Márcia Pissurno, o ato, que reuniu milhares de pessoas entre servidores das universidades, estudantes e outras categorias, “foi importante por unir os estudantes e trabalhadores contra o corte verbas para Educação bem como para preparar toda a população para a greve geral no dia 14/06 contra a reforma da previdência.”

A FENAJUFE divulgou nota pública em apoio à mobilização destacando que “o  movimento deste 15 de maio é passo importante na construção da Greve Geral do 14 de junho, momento em que os trabalhadores e trabalhadoras brasileiros darão um basta às ameaças de retirada de direitos contidas na reforma da Previdência pretendida pelo governo, para beneficiar empresários e setor financeiro.”  Diz também que “ao apoiar o 15 maio rumo à Greve Geral do 14 de junho, a Fenajufe conclama seus Sindicatos Filiados à resistência e à participação, na defesa dos direitos e garantias constitucionais das Cidadãs e Cidadãos brasileiros.”

Veja aqui a nota da FENAJUFE na íntegra.