Nota pública sobre a desfiliação do Sindjus-DF da CUT

Sindjus/DF 

Em resposta a especulações infundadas sobre uma suposta dívida do Sindjus-DF com a CUT geradas a partir da posição pessoal de um diretor do Sindicato, a Diretoria Colegiada, por meio da seguinte nota oficial, esclarece:

No dia 02 de outubro de 2015, reunidos, na Praça dos Tribunais, em Assembleia-Geral Ordinária, cuja participação foi expressiva em razão do movimento paredista, os servidores do Poder Judiciário e do Ministério Público da União no Distrito Federal aprovaram a desfiliação do Sindjus-DF da CUT. Ressalta-se que, segundo o Estatuto do Sindicato, a assembleia-geral é a instância deliberativa máxima da categoria. Dessa maneira, fica garantida a legitimidade da decisão supracitada.

Por meio do ofício 177/2016, o Sindjus-DF comunicou tal decisão ao presidente nacional da CUT, Wagner Freitas. Foram encaminhados também dois ofícios ao secretário-geral da CUT, Sérgio Nobre. O primeiro - ofício 450/2016 – informou oficialmente a Central sobre essa decisão. No segundo – ofício 152/2017 – o Sindicato solicitou a presença de um representante da CUT no VII Congresso do Sindjus-DF, que ocorreu em maio de 2017, para acompanhar a ratificação da desfiliação da CUT.

Portanto, o Sindjus-DF tomou todas as medidas necessárias para garantir a efetivação da decisão da categoria no tocante à desfiliação da CUT.

Diante do exposto, a Diretoria do Sindjus-DF afirma publicamente não possuir qualquer vínculo com a CUT, tampouco reconhece qualquer dívida entre o sindicato e a central. Por se tratar de uma filiação política nunca existiu um contrato. Um parecer jurídico embasa tais afirmações.

A Diretoria afirma ainda que a categoria pode ficar tranquila, pois todos os encaminhamentos necessários referentes à desfiliação da CUT foram realizados de forma séria, responsável e de acordo com orientações do jurídico.

DIRETORIA COLEGIADA DO SINDJUS-DF