Fenajufe - No Rio Grande do Norte, servidores do Judiciário e MPU pressionam a base do PT pelo reajuste da categoria

No Rio Grande do Norte, servidores do Judiciário e MPU pressionam a base do PT pelo reajuste da categoria

Os servidores do Judiciário Federal e do MPU do Rio Grande do Norte se reuniram na tarde desta segunda-feira (20) na sede do PT com o secretário geral do partido no estado, Hugo Manso. A categoria solicitou ao representante do partido da presidenta Dilma apoio da base aliada na luta dos servidores, que estão há seis anos sem reajuste salarial. A classe ressaltou a forma truculenta como o governo vem lidando com os servidores, desvalorizando o serviço público.

“Nós queremos que o PT seja interlocutor desta luta para que nossa proposta de reajuste chegue ao Congresso Nacional e que as sessões não sejam sabotadas prejudicando a votação como vem ocorrendo”, disse um dos grevistas do MPU que estão com os serviços paralisados até o próximo dia 30 de agosto. A decisão foi tomada sexta-feira passada (17) durante assembleia da categoria.

Os servidores também disserak ao representante do PT que além da falta de negociação ainda existe uma campanha difamatória por parte de Dilma onde, na visão dela, os servidores do MPU e do Judiciário já ganham demais e podem esperar por um melhor momento da economia para ter correção nos salários. Até o momento a presidente está deixando de fora os servidores do Judiciário e do MPU da proposta de reajuste de 15,8% para o funcionalismo público. Nos próximos dias, deverá sair uma oferta de aumento aos militares. Não está decidido ainda se o ganho virá por meio do salário ou das gratificações, mas a presidente assumiu compromisso com as Forças Armadas.

Hugo Manso ouviu as reivindicações dos servidores e como servidor público e ex-dirigente sindical reconheceu a legitimidade da luta da categoria e admitiu que o governo está errando pela falta de diálogo e pela forma como vem lidando com a situação. “O governo poderia até oferecer pouco, mas se negar a negociar é um erro. Não apresentar números, não abrir as contas, eu não aceito. Alguma coisa tem que ser feita”, disse ele que se dispôs a ajudar. “Posso levar a frente e falar pela causa da categoria”, complementou. Ao ser pressionado pelos presentes o representante do PT entrou em contato com a deputada federal Fátima Bezerra que se comprometeu a agendar ainda esta semana, provavelmente na próxima sexta-feira (24), uma audiência com os servidores do Judiciário e MPU a fim de ouvir a clategoria. “Não estamos pedindo favor nem aumento, queremos apenas um reajuste salarial que nos é de direito”, disse uma das servidoras.

Para a coordenadora do Sintrajurn-RN, Francisca Gomes, o encontro foi bom porque mesmo sem fazer nada, pode abrir caminho para articulações junto ao partido da presidenta Dilma. “Espero que ele faça o que prometeu”, disse Francisca.

Fonte: Sintrajurn-RN