Fora Temer! Diretas Já!

Por Mara Rejane Weber, Coordenadora da Fenajufe e militante CUTista/Oposição Sintrajufe/RS

A cada notícia fico mais preocupada em buscar coletivamente a resistência e combate a esse projeto de retrocesso civilizatório que estamos vivendo.

Sempre que falo em golpe aqui há aqueles que me censuram e chamam de ranço. Porém fica cada vez mais evidente que não estamos numa normalidade democrática. Ou seria possível aprovar medidas como a contra reforma trabalhista, aumento de combustível enquanto anistiam banqueiros e grandes empresários, isso tudo com um governo que tem sua popularidade já na margem de erro em um Estado Democrático de Direito?

A cada dia fica mais nítido também o papel do Judiciário nesse enredo: Condena-se Lula e libera-se Aécio para voltar livre e solto ao Senado; Jucá está ileso, Loures em casa, Temer foi salvo na CCJ e deve ser salvo em Plenário tb. Ou seja os partidos comprometidos com o golpe (PSDB,PMDB, DEM, PP e satélites) tem licença para roubar.

Estamos numa situação muito mais grave de diminuição de renda e aumento desemprego que antes do golpe, mas não vemos absolutamente uma comoção popular. A Classe Média segue no seu silêncio indicando que sua indignação com a corrupção era absolutamente seletiva e estava mais pra preconceito de classe do que indignação cidadã.

Acontece que gostando ou não não temos outra escolha senão reagir e lutar contra essa avalanche de ataques.

A Classe Trabalhadora está sendo esmagada e nós servidores e servidoras somos Classe Trabalhadora, mesmo que (novamente) muitos e muitas aqui não se vejam assim.

A cada semana temos mais e mais porradas.... PDV (por enquanto pro executivo) e sinalizações de que reajustes já em lei poderão ser postergados..... isso ainda no âmbito tb do executivo mas olhando a LDO podemos ler sinais de que nossa parcela de 2019 está em risco (isso não é alarmismo, apenas precisamos saber o que estamos enfrentando).

O projeto de poder em curso não se importa mais em manter as aparências de normalidade institucional, não precisam mais se ancorar na legalidade....eles podem tudo.

Por isso mais uma vez venho defender aqui que precisamos descriminalizar a política, precisamos construir uma saída que seja via projeto de Brasil e que não espere as eleições de 2018, pois talvez e se convier ao poder elas não acontecerão. Precisamos defender Diretas Já, agora!!!

Se o povo não disputar o poder com essa quadrilha nacional e internacional que se apoderou do Brasil não teremos saída.

E nossa categoria precisa sair do imobilismo e entender o que é prioritário..... buscar pautas especificas enquanto o desmonte do PJU e MPU correm a passos largos não parece producente. Continuar nos enxergando como cargos e segmentos apartados é suicídio. Ou lutamos todos e todas juntas por um país diferente ou não vai sobrar serviço público pra defendermos.

Nada vai melhorar e tudo vai piorar no nosso cotidiano se continuarmos nessa alienação política. Pode ser duro o que estou dizendo mas na verdade estou enxergando capacidade e saída pra esse inferno, mas precisamos sair do imobilismo e reagir. Não podemos deixar acontecer uma greve isolada de colegas oficiais como foi agora em SP porque se não pudermos defendermos uns aos outros estaremos derrotados. Se não nos unirmos com as frentes e comitês populares estaremos derrotados. Se não fizermos o caminho de volta para fortalecer nossas entidades sindicais e Centrais sindicais estaremos derrotados. E vamos precisar discutir política partidária sim. Por que não se muda uma tragédia dessas sem partidos políticos fortes e sem um programa que dê conta de revogar as medidas antipopulares aprovadas até agora. Na verdade um programa sem conciliação de classes, porque me parece que está bem claro que a elite brasileira é escravagista e não está nem um pouco preocupada com combate à corrupção, direitos sociais básicos, cidadania, democracia e um Estado que atenda as necessidades da população. E me parece que já está claro também que nós servidores e servidoras (mesmo do PJU e MPU) não fazemos parte dessa elite. Somos Classe Trabalhadora. Falta pensar e agir como Classe Trabalhadora.

 

 

Este artigo é de inteira responsabilidade do autor não representando a opinião da Fenajufe.