BA: Servidores/as realizam atividades no dia 14, definido como Dia Nacional de Mobilização

 

 

 

A realização de Atividades nos órgãos na Capital e algumas Cidades do interior foram aprovadas em Assembleia Geral como forma de marcar o dia 14, definido como dia nacional de mobilização! 

Sindjufe (BA)
Vitor Figueiredo

No TRT-5, às 9h, aconteceu um "café com roda de conversa sobre o pós reforma trabalhista”; no TRE foi servido um almoço em evento chamado “Feijão com mobilização” às 12h; e às 15h, foi a vez da JF realizar o evento "Coquetel Federal de luta". No interior os servidores vestiram a camisa do sindicato e enviaram fotos para mostrar a participação na mobilização. Tais atividades foram organizadas com o propósito de trazer os/as servidores/as à luta contra os nefastos ataques à camada civil e trabalhadora. 

Em Salvador, os/as servidores/as e coordenadores/as ressaltaram a importância de retomar urgentemente a mobilização, em conjunto com as demais categorias - sejam do serviço público ou da iniciativa privada, estudantes, aposentados, movimentos sociais -, para criar uma barreira aos ataques do governo e avançar no desejo da nação de tirar o presidente Temer do poder. O grito "Fora Temer!" ecoa em todas as atividades e eventos populares e se firma como o grito de guerra do/a brasileiro/a. 

A coordenadora do SINDJUFE-BA, Denise Carneiro, apontou em sua fala que "Temer precisa cair pela ação do povo brasileiro! Não aceitaremos acordos naquela casa enlameada para simplesmente mudar o nome do chefe do bando" pois, segundo a mesma, os ataques aos trabalhadores continuarão e ainda mais fortes. Já o coordenador Lourival Matos lembrou que "esse governo fraco, vetou duas vezes a auditoria da dívida pública, mostrando quem ele representa, e não somos nós, o povo brasileiro!", enfatizou. 

Enquanto os/as trabalhadores/as retornavam à mobilização, o Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, enviou ao STF uma segunda denúncia contra Temer. Porém, na avaliação dos/as presentes, todos os Poderes estão alinhados, e por isso não há expectativa favorável a uma solução jurídica para a crise política instaurada no País. 

Diante desse cenário, o SINDJUFE-BA informa que dará continuidade às visitas aos/às servidores/as do interior, além de retomar a mobilização contra os ataques do governo Temer, e ampliar a atuação junto à classe trabalhadora.