Fenajufe - Grevistas no Piauí recebem o apoio da OAB e rejeitam proposta do Governo

Grevistas no Piauí recebem o apoio da OAB e rejeitam proposta do Governo

Foi na frente dos elevadores do TRE-PI que os grevistas ficarem sentados na manhã desta quarta (22), terceiro dia de greve do Judiciário Federal e Ministério Público no Piauí. Apesar de os manifestantes não terem barrado por completo a passagem das pessoas, a atitude fortaleceu a adesão por parte dos servidores da casa.

O dia também foi marcado pela notícia de que o Governo ofereceu uma contraproposta, onde daria 15% de reajuste para a categoria, parcelado em três vezes.  Sem titubear, os servidores mantiveram a greve e já buscaram o apoio da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no Piauí. Nesta quarta, o ato será novamente no TRE, a partir das 7h.

A proposta do Governo de reajuste de 15%, parcelado em três vezes, foi considerado como um primeiro passo para os grevistas. “Apesar de a proposta ser irrisória, pelo menos o Governo já começou a negociar. Ruim era quando eles estavam dizendo que o reajuste seria zero”, comenta a diretora do Sintrajufe, Madalena Nunes. Os manifestantes não têm dúvidas de que continuarão a greve até que o Governo aceite o reajuste proposto pela categoria. “Cinco por cento ao ano não dá nem pra acompanhar a inflação da tarifa de energia, que é de 9%”, avalia um dos manifestantes.

Reunião com o presidente da OAB

Por volta das 11h, uma comissão saiu do ato no TRE para participar de uma reunião com o presidente da OAB no Piauí, Sigfroid Moreno. Na oportunidade, os grevistas explanaram a situação dos servidores nos últimos seis anos, sem nenhum reajuste. O diretor Saturnino Dantas e a diretora Madalena Nunes explicaram que um dos maiores problemas do reajuste para os servidores é a inexistência de data-base para a reposição das perdas salariais. Os servidores também relataram diversos problemas cotidianos pelos quais passam nos tribunais.

Sigifroid Moreno afirmou que os servidores podem contar com o apoio da Ordem que, segundo ele, vai agir local e nacionalmente. Ele garantiu aos grevistas que provocará o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil a expedir um documento nacional, encaminhado à presidente Dilma, solicitando urgente negociação com a categoria e explicando a necessidade dos serviços de justiça para a população. Incentivado pelos servidores, o presidente da OAB prometeu ainda que publicará (em jornal não especificado) uma nota oficial da entidade manifestando apoio aos manifestantes.

Fonte: Sintrajufe-PI