Servidores de Alagoas iniciam greve por tempo indeterminado

Os servidores do Judiciário Federal e do MPU em Alagoas retomaram a greve por tempo indeterminado nesta segunda-feira (20). As atividades de mobilização desta segunda se concentraram em frente ao prédio das Varas do Trabalho, onde a categoria recebeu várias manifestações de apoio.

Os trabalhadores do judiciário aderem à greve nacional –  a maior greve no governo petista, que conta com mais de 40 categorias do serviço público paradas – para que os projetos de lei que revisam os Planos de Cargos e Salários (PCSs) da categoria e que se encontram parados na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara Federal há mais de dois anos sejam aprovados.

No primeiro dia de greve, o Coordenador Jurídico do Sindjus/AL, Paulo Falcão, fez relatos da mobilização nacional na semana passada, como a Marcha a Brasília, que reuniu mais de 10 mil pessoas; a reunião ampliada da Fenajufe que aprovou o fortalecimento da greve e o “Fora Dilma” e o ato público na visita de Dilma a Alagoas.

De acordo com ele, o“Fora Dilma” representa todas as indignações contra os ataques aos servidores, a exemplo da privatização da previdência, a quebra da paridade e integralidade, a privatização das estradas, das ferrovias, das rodovias, dos aeroportos e dos portos através do Programa de Investimentos em Logística (PIL); bem como os cortes orçamentários nas áreas da Saúde, Segurança, Educação, Moradia e Reforma Agrária. “Dilma, chega de reajuste zero para os trabalhadores do setor público”, disse o sindicalista.

O Coordenador Administrativo do Sindjus/AL, Alex Sandro Cardoso, ressaltou que a greve tem que ser construída por meio de cada servidor, utilizando-se de visitas aos locais de trabalho para o fortalecimento do movimento grevista. A servidora da 9ªVara, Rosa Mendonça, também defendeu maior participação da categoria nesse momento de greve “para que não fiquemos mais dez anos sem nenhum reajuste”.

Os servidores receberam manifestações de apoio de advogados trabalhistas, de integrantes da CSP-Conlutas, da Oposição ao Sindicato dos Previdenciários e do Movimento Mulheres em Luta.

Atividades da greve

Ao final do ato público, os servidores aprovaram realizar visitas em todas as varas trabalhistas, convocando os servidores a adesão à greve. A concentração desta terça-feira (21) será em frente ao prédio das Varas do Trabalho, a partir das 9 horas.

Fonte: Sindjus-AL