Fenajufe continua articulação pela correção de benefícios

Atenta à demora  na correção dos valores da Auxílio Alimentação e do Auxílio Pré-escolar, a  Fenajufe tem buscado contato com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Cármen Lúcia. Até o momento, apenas os servidores do STF e do MPU tiveram a correção de valores implementada.

Na segunda-feira, 30 de abril, o coordenador Saulo Arcangeli, acompanhado do Assessor Institucional da Fenajufe, Alexandre Marques, estiveram no CNJ. O objetivo era o contato com a presidência do órgão para tratar da edição de portaria conjunta, solicitação feita pela Fenajufe em 15 de fevereiro deste ano (acesse AQUI). A intenção era manter o contato pelo menos com a assessoria da presidência, uma vez que na sexta-feira anterior o coordenador já estivera no Conselho, mas não fora atendido devido a uma reunião entre os conselheiros.

Ao chegar à presidência o dirigente foi informado que na gestão Cármen Lúcia não existe mais a figura da assessoria e que os processos ficam com a presidente do Conselho, somente com ela sendo tratados.  Diante da negativa foi tentado contato com o juiz auxiliar. Novamente outra negativa, pois segundo informação recebida pelo coordenador, o magistrado não recebe entidades.

A dificuldade de acesso para tratar do tema causa preocupação à Fenajufe, uma vez se tratar de empecilho ao avanço das negociações acerca de tema que impacta diretamente toda uma categoria que já sofre os efeitos da EC 95 (teto dos gastos), que congela por 20 anos os investimentos sociais no serviço público.

A Fenajufe tem reiterado os pedidos de audiência com a presidente do STF e CNJO para tratar também da pauta de reivindicações apresentada em dezembro de 2017. Ao término daquela reunião, Carmen Lúcia comprometeu-se a convocar novo encontro com a Federação para comunicar uma posição. 2018 já entrou em seu quinto mês e até o momento, a presidência do Tribunal não recebeu a Fenajufe.

Ao longo das últimas semanas a assessoria da Fenajufe tem buscado contato com os conselhos para agendar reuniões e tratar dos reajustes.