Centrais e entidades sindicais defendem unidade para derrotar agenda de retrocessos trabalhistas

Fotos: Joana Darc Melo/Fenajufe

Teve início na noite desta sexta-feira (04/08), em Brasília, a reunião Ampliada do Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe). Durante a mesa de abertura do encontro, que reúne cerca de 300 pessoas, dirigentes sindicais defenderam a imediata unificação de ações entre as entidades de classe que defendem os interesses tanto dos servidores públicos federais e estaduais, quanto dos trabalhadores dos diversos setores da iniciativa privada. Segundo os dirigentes, a unificação é á única medida capaz de estancar o avanço da agenda de retrocessos e retirada de direitos dos trabalhadores, em curso no país.

Presentes no encontro, que segue até domingo (06/08), coordenadores da Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário Federal e Ministério Público da União – Fenajufe, defenderam uma ampla mobilização nas ruas para impedir a implementação da Reforma Trabalhista aprovada pelo governo Michel Temer no Congresso Nacional e também o avanço da Reforma Previdenciária, em análise no legislativo.

“Precisamos de unidade, temos aqui várias atas, de várias categorias, pedindo uma grande mobilização agora para o mês de agosto, com uma proposta de greve geral de 48 horas. Isso é fundamental para derrotarmos esse governo. Sabemos que temos um Congresso que está bancando retrocessos como a PEC 55 (teto de gastos), a Reforma Trabalhista, e agora, a reforma da previdência. Precisamos ir para o enfrentamento para derrotá-la e impedir a implementação da trabalhista”, afirmou Saulo Arcangeli, que falou em nome da Fenajufe.

O coordenador da entidade também alertou para a necessidade de mobilização nas ruas, com ampla participação da sociedade. “Não podemos confiar que o judiciário vai resolver. Infelizmente, no último período, o Supremo fez um corte automático dos servidores públicos no dia de greve, proibiu a greve dos policiais civis e também retirou a responsabilidade do serviço público sobre a terceirização. Portanto, é um processo que precisamos ter muita unidade para derrubar o Temer e também derrubar esse Congresso corrupto. Vamos à luta por uma nova greve geral dos trabalhadores!”, defendeu Saulo Arcangeli.

Reunião Ampliada do Fonasefe – As atividades foram retomadas na manhã deste sábado (05/08), com os seguintes temas: Emenda Constitucional 95/2016 e seus impactos no serviço público; O estado mínimo e desmonte do Serviço Público; Defesa dos direitos dos servidores e dos serviços públicos; e Campanha salarial.

No período da tarde, os participantes do encontro debaterão os temas do segundo painel: As reformas e seus impactos no Serviço Público – Reforma Trabalhista – Terceirização – Reforma da Previdência. No final da tarde, serão realizados grupos de trabalho sobre Debates e estratégias de enfrentamento. No domingo (06/08), ultimo dia da Reunião Ampliada, serão feitas as apresentações dos trabalhos dos grupos e encaminhamentos.

Fonasefe – O Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais é composto pelas seguintes entidades: ANDES-SN – ANFFA-Sindical – ASFOC-SN – ASMETRO-SN – ASSIBGE-SN CGTB - CNTSS – CONDSEF – CSPB - CSP/CONLUTAS – C.T.B – CUT - FASUBRA FENAJUFE - FENAPRF – FENASPS – INTERSINDICAL - PROIFES – SINAIT-SINAL SINASEFE – SINDIFISCO-Nacional – SINDIRECEITA – SINTBACEN – UNACONSindical.

 

Reunião Ampliada do Fonasefe

Data: de 4 a 6 de agosto de 2016

Local: Hotel San Marco – Setor Hoteleiro Sul, Brasília-DF