A Valorização do Servidor do Judiciário

A Valorização do Servidor do Judiciário

Por Nilton dos Santos de Lima, 1º Secretário do Sindiquinze (SP)

Este artigo é de inteira responsabilidade do autor, não sendo esta necessariamente a opinião da diretoria da Fenajufe

Na abertura do ano Judiciário o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ministro Ricardo Lewandowski e seu congênere, Rodrigo Janot, chefe do Ministério Público da União, foram unânimes nas declarações acerca da necessidade de valorização do servidor no âmbito do Judiciário e do MPU.  Foram enfáticos nesta defesa verbal, todavia como diz a sabedoria popular, a teoria na prática é outra.

Alguém disse que só provamos que somos honestos quando temos a oportunidade de sermos desonestos, assim o chefe do Poder Judiciário quando pode demonstrar na prática seu discurso de valorização do servidor, preferiu apoiar mais uma vez o pleito da magistratura. E não se diga que não era possível ser diferente, pois todos nós sabemos que ambos os projetos tramitavam com a iniciativa legislativa do Supremo Tribunal Federal, ainda que o pleito da magistratura tivesse um alcance que interessasse aos parlamentares (o que poderia muito bem ser utilizado como estratégia de negociação com o Legislativo, tanto quanto como o Executivo).

No MPU vimos um empenho maior do Procurador-Geral, inclusive com o próprio Rodrigo Janot indo ao plenário da Câmara dos Deputados fazer corpo-a-corpo pela aprovação do projeto da sua área, sinal de respeito e atenção ao pleito de seus servidores. O STF se fazia representar por seus Diretores, enquanto o ministro presidente dizia fazer gestões junto à presidente Dilma e aos seus ministros.

O certo é que nosso PL 7920/14 encontra-se ainda num limbo legislativo; não é aprovado porque não está no orçamento (LOA 2015 ainda em processo de aprovação pelo Congresso Nacional) e não está no Orçamento por que não foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (onde aguarda aprovação em caráter terminativo).

O Sindiquinze acredita que nossa luta ainda é pelo PL 7920/14, entramos 2015 com a perspectiva de sua aprovação, com a inclusão na PLOA de valor, ainda que simbólico com implemento do restante a partir de 2016, idéia apresentada no encontro do presidente Zé Aristéia com o DG do STF Sr. Amarildo Vieira de Oliveira.

A LUTA É DE TODOS, VENHA PARA O SINDICATO E PARTICIPE DESTA JORNADA.